Escrito por Enilda Falcão Lins    Ter, 29 de Outubro de 2013 18:55
PDF
Tempos de seca
Tamanho da Fonte

Reis 17. 1-7.

“Um profeta chamado Elias, de Tisbé, na região de Gileade, disse ao rei Acabe: – Em nome do SENHOR, o Deus vivo de Israel, de quem sou servo, digo ao senhor que não vai cair orvalho nem chuva durante os próximos anos, até que eu diga para cair orvalho e chuva de novo. Então o SENHOR Deus disse a Elias: Saia daqui, vá para o leste e esconda-se perto do riacho de Querite, a leste do rio Jordão. Você terá água do riacho para beber; e eu mandei que os corvos levem comida para você ali. Elias obedeceu à ordem do SENHOR e foi e ficou morando perto do riacho de Querite. Ele bebia água do riacho, e os corvos vinham trazer pão e carne todas as manhãs e todas as tardes. Mas algum tempo depois o riacho secou por falta de chuva.” I Reis 17. 1-7.


Estamos vivendo um grave período de seca no Nordeste. Os jornais têm noticiado que a situação da seca no Nordeste deve piorar no ano de 2013. Apesar da multiplicação de cisternas, a situação pode se agravar mais ainda. No ano passado, as chuvas típicas de abril e maio ficaram abaixo dos níveis esperados. As águas estocadas em 2012 acabaram em alguns municípios. Várias famílias abandonaram casas e roças e foram para as cidades. Parte dos animais, e da agricultura, base econômica de muitas famílias, foi perdida. Existem cidades que estão sem qualquer fonte de água há um bom tempo. A população depende da água trazida de outras regiões em carros-pipa, para sobreviver e alimentar os animais. A situação está desesperadora.

Com a seca, chega também a falta de alimento, de água potável para beber, os alimentos que se consegue comprar tem preço elevado, e nem todos têm condições de adquiri-los. Surgem também com a seca a falta de produtividade, de crescimento econômico, e a região afetada, cada vez mais empobrecida. Crianças e velhos morrem, animais com as costelas aparecendo de tanta magreza, e muitos não resistem e morrem...

No texto da meditação de hoje temos a narração de um episódio de um tempo de seca. Nos dias de Elias, Israel estava sendo governado por reis maus e idólatras. No texto que lemos, Elias é enviado ao Rei Acabe para anunciar que iria começar um período de seca. Nesse contexto de reis ímpios e idólatras, eis que surge Elias, o profeta. E este homem é enviado por Deus para falar o seguinte: “Em nome do SENHOR, o Deus vivo de Israel, de quem sou servo, digo ao senhor que não vai cair orvalho nem chuva durante os próximos anos, até que eu diga para cair orvalho e chuva de novo.” Naquela época o povo morava mais no campo do que nas cidades. Quando um profeta falava em nome de Deus que haveria seca, o povo já sabia que teria de enfrentar tempos de fome, tempos de miséria e sofrimento... Diz o texto que “orvalho nem chuva” haveria. Seria uma seca tremenda.

Logo o Senhor Deus ordenou a Elias que se dirigisse ao Ribeiro de Querite. Esse ribeiro é um dos muitos que desaguam no Rio Jordão. Esse local consistia em um vale, que tinha uma passagem estreita e profunda. No fundo deste vale, corria um filete de água, o riacho de Querite. Podemos observar que Elias estava prestes a passar por umas das grandes experiências de sua vida. Obediente que era ele se dirigiu para lá. Ali, naquele cantinho providenciado por Deus, não lhe faltaria água pura para beber e nem o alimento, senão, vejamos o que diz o texto da meditação: “Você terá água do riacho para beber; e eu mandei que os corvos levem comida para você ali. Elias obedeceu à ordem do SENHOR e foi e ficou morando perto do riacho de Querite. Ele bebia água do riacho, e os corvos vinham trazer pão e carne todas as manhãs e todas as tardes.” O cardápio da seca, prescrito por Deus e por Ele providenciado, consistia em:  água do ribeiro e pão e carne pela manhã e ao anoitecer. Elias estava em um lugar seguro, distante das ameaças e perseguições do rei Acabe, e não morreria de fome e nem de sede.

Vejamos agora, algumas lições deste texto:

1 – Quando obedecemos a Deus, mesmo que estejamos passando por momentos de seca, recebemos d’Ele o sustento. Elias obedeceu, falou ao rei que haveria seca, e logo Deus providenciou um lugar seguro, onde havia água e alimento para o seu servo. Obedecer a Deus muitas vezes é tão difícil! Em algumas ocasiões Ele nos incumbe de tarefas complicadas e, que nos parecem sem sentido ou, nos coloca em situações que pensamos não ter saída. Estamos sofrendo com a seca? Sim, mas, Deus manda o refrigério. Deus nos sustenta, e não falta alimento! Não esqueçamos de que Deus é soberano e está no controle de tudo. No momento de crise Ele prepara as provisões para seus filhos.

2 - O momento de seca pode chegar à nossa vida a qualquer momento. Ele pode vir travestido de uma enfermidade grave, de grandes problemas emocionais, de desemprego, de relacionamentos desfeitos, de perdas de entes queridos, ou mesmo, pode vir literalmente como uma escassez de chuva, provocando sequidão na terra, e consequentemente, falta de água e de alimento. Seja que tipo de seca nós estejamos passando, não podemos esquecer que Deus está conduzindo tudo, e, está no controle total dos acontecimentos. Ele também tem propósitos, quando nos permite passar por momentos de seca. Pode ser que estejamos sendo provados na fé, ou que estejamos sendo disciplinados.

3 - Outra coisa a considerar é que Deus usa os meios mais inesperados para colocar seus planos em ação. O alimento para Elias, pão e carne, era levado por corvos. “Os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro.” 1 Reis 17:6 . É interessante observar que Deus usou uma ave que era considerada imunda, segundo as leis judaicas, senão vejamos: “Das aves, estas abominareis; não se comerão, serão abominação: a águia, e o quebrantosso, e o xofrango, e o milhano, e o abutre segundo a sua espécie. Todo o corvo segundo a sua espécie...” Levítico 11:13-15. Ele poderia ter usado outra ave, que não estivesse na relação das consideradas imundas, mas, deu preferência ao corvo. Não nos surpreendamos se de repente Deus usar um meio inesperado, até mesmo estranho, para suprir nossas necessidades. Se estivermos orando por uma resposta, devemos também nos preparar, pois, Deus pode responder de uma forma inusitada. Talvez alguns de nós tenhamos passado por uma experiência assim, onde Deus agiu de forma surpreendente. Muitas vezes, quando menos esperamos, Ele nos surpreende com uma resposta, ou acontece algo que nunca imaginávamos para a solução dos nossos problemas. Estejamos certos, pois, que Deus responde nossas orações, e pode usar meios que até não entenderemos. Estejamos certos ainda que Ele sempre cuida dos Seus filhos.

4 – Continuando a leitura do texto, iremos perceber que o riacho secou... E agora? Ah! Deus tinha um segundo plano! Quando o ribeiro seca, Deus não nos deixa na mão, mas, logo entra com providência. Deus mandou Elias ir a Sarepta, e lá uma viúva iria alimentá-lo. Leiamos o texto seguinte: “E sucedeu que, passados dias, o ribeiro se secou, porque não tinha havido chuva na terra. Então veio a ele a palavra do SENHOR, dizendo: Levanta-te, e vai para Sarepta, que é de Sidom, e habita ali; eis que eu ordenei ali a uma mulher viúva que te sustente.” 1 Reis 17:7-9 . Mais uma vez Deus nos surpreende! Quando o primeiro plano se esgota, Ele vem com o segundo plano. Elias deixou de ser alimentado por corvos, para agora ser alimentado por uma viúva muito pobre... Quer saber o que aconteceu? Continue lendo o capítulo 17 de 1 Reis. Se as providências de Deus parecem não estar mais dando resultado, não desanimemos, pois, Ele usará o segundo plano, mas, não nos deixará abandonados e desolados. “Mude o foco: não olhe para as dificuldades - observe o que Deus fará por meio delas.”

Reflexão:
Com todas estas experiências, Elias aprendeu a depender de Deus. Depender de Deus não é uma tarefa fácil. A nossa tendência humana é querer agir por conta própria. Depender de Deus requer fé e obediência. O profeta também aprendeu a confiar em Deus. Recebeu uma tarefa árdua, a de profetizar ao rei Acabe e sua esposa Jezabel, que eram ímpios e perseguiam o povo de Deus. Entretanto, Elias não vacilou e foi levar seu recado da falta de chuva, combateu o pecado de Acabe, e desafiou os profetas de Baal. Somente uma confiança plena em Deus poderia levar Elias a profetizar para aquelas pessoas tão ímpias. De tudo, portanto, aprendemos que, para quem é obediente a Deus, mesmo passando pela seca, Deus providencia o sustento, e até usa meios inesperados. Também aprendemos que Ele sempre tem um segundo plano. Vamos, portanto, aprender a confiar mais em Deus, a obedecê-Lo e, a depender plenamente d’Ele, e com certeza haveremos de ser ricamente abençoados em “TEMPOS DE SECA”! Amém?

 

Enilda Falcão Lins

Enilda LinsDrª.Enilda Lins, esposa do Pr. Isaías Andrade Lins Filho há 48 anos. Mãe de 3 (três) filhos, avó de 6(seis) netos. É Bacharel em Direito, advoga, é especialista na área de Direito de Familia, sendo Membro Efetivo do Instituto Brasileiro de Direito de Familia - IBDFAM.

Exercendo a advocacia há mais de trinta anos, a dra. Enilda Lins já exerceu diversas atividades no Serviço Público Municipal e também no Serviço Público Federal. Escritora de diversos artigos publicados em revistas e sites de cunho evangélico.


Autor deste Artigo: Enilda Falcão Lins

Exibir outros Artigos deste Autor

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Arquivos Recentes

Planejamento 2014 Download

Login Form

Informe seus dados de acesso

Esqueceu sua senha? Registrar-se

Siga também...