Escrito por Enilda Falcão Lins    Qui, 31 de Outubro de 2013 12:54
PDF
Atormentado pela Dúvida
Tamanho da Fonte

Salmo 73.

"O meu corpo e o meu coração poderão fraquejar, mas Deus é a força do meu coração e a minha herança para sempre." Salmos 73:26 .


Este Salmo foi escrito por Asafe, e nos traz muitas lições. O salmista narra sua experiência, como chegou a ficar cheio de dúvidas e, também como conseguiu superá-las. Ele começou a refletir a respeito da condição dos homens que não temem a Deus. Eles possuem saúde, são prósperos e populares. Quantas vezes também, paramos para pensar o porquê dessas pessoas possuírem uma vida tão cheia de regalias, casas luxuosas e ornamentadas com objetos caros e sofisticados, carros importados e do ano, roupas de grifes, enquanto que tantas pessoas justas, piedosas, passam por tantas dificuldades, por inúmeros problemas na vida. O salmista de tanto pensar sobre o assunto, percebeu que, enquanto ele nada recebia além de aflição pelos seus esforços para manter sua vida íntegra, os ímpios viviam folgadamente, sem problemas financeiros, e com uma vida saudável, senão, vejamos: "Eles possuíam saúde, eram prósperos e populares. Assim são os ímpios; sempre despreocupados, aumentam suas riquezas. Certamente foi-me inútil manter puro o coração e lavar as mãos na inocência, pois o dia inteiro sou afligido, e todas as manhãs sou castigado." Salmos 73:12-14 .


Com suas divagações, o salmista começou a se encher de dúvidas, e chegou a uma conclusão perigosa e errada: Parecia que simplesmente não compensava ser bom. Não estava adiantando se esforçar tanto para ter uma vida reta, que agradasse a Deus, pois, ele "o dia inteiro era afligido, e todas as manhãs era castigado...". Quando nos preocupamos em olhar para "a vida boa" que pessoas desonestas têm, ou mesmo, quando simplesmente nos preocupamos em olhar para a vida dos outros, corremos o risco de nos afastar do nosso alvo primordial que é o de "Olhar para Jesus, o autor e consumador da nossa fé" (Hebreus 12 .2).

O erro de Asafe foi deixar de olhar para o Senhor, para analisar o que ocorria com as pessoas à sua volta. Ao fixar os olhos na experiência dos homens, tirou conclusões que o levaram para muito perto da apostasia. Vejamos o que ele diz: Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei. Pois tive inveja dos arrogantes quando vi a prosperidade desses ímpios. Eles não passam por sofrimento e têm o corpo saudável e forte. Estão livres dos fardos de todos; não são atingidos por doenças como os outros homens. Por isso o orgulho lhes serve de colar, e se vestem de violência. Do seu íntimo brota a maldade; da sua mente transbordam maquinações. Eles zombam e falam com más intenções; em sua arrogância ameaçam com opressão. Com a boca arrogam a si os céus, e com a língua se apossam da terra. Por isso o seu povo se volta para eles e bebem suas palavras até saciar-se. Eles dizem: "Como saberá Deus? Terá conhecimento o Altíssimo?” Assim são os ímpios; sempre despreocupados, aumentam suas riquezas." Salmos 73:2-12 . Muitas vezes também nos afligimos quando vemos o mal sobrepujar o bem!.. Pensamos: Parece que Deus não está se preocupado com o que vem acontecendo, com as injustiças que estamos sofrendo, com as opressões e sofrimentos impingidos por pessoas que estão no poder... Devemos ter cuidado com esse tipo de preocupação, de pensamento, pois, nos enchem de desânimo e nos afastam do Senhor!

Não existe nenhum problema termos dúvidas. Há pessoas que pensam que é errado querer saber o porquê das coisas. Para elas nós temos que nos conformar e aceitar as situações sem indagar a respeito das mesmas. Não há nada de errado perguntar a Deus por que as coisas acontecem assim, com tanta desigualdade e injustiça. Deus não faz ouvidos surdos para aqueles que fazem questionamentos sinceros, que desejam uma explicação, uma resposta para dirimir suas dúvidas.

No Velho Testamento, bem como no Novo Testamento, temos vários exemplos de homens de Deus que passaram por experiências tremendas, que inicialmente não entendiam o porquê de terem que passar por elas, tinham seus momentos de dúvidas, entretanto, intercediam e, se esforçavam para compreender Deus e para obedecê-lo. Podemos citar o caso de Abraão, Moisés, Davi, e tantos outros servos do Senhor. Quando Deus pediu a Abraão o seu filho único, Isaque, em sacrifício, por exemplo, ele passou por uma experiência muito dolorosa, bastante confusa e que, talvez, quem sabe, tenha até enchido de dúvidas o seu coração. A vida desses servos de Deus nos deixa lições preciosas de confiança plena no Senhor, mesmo em meio às dúvidas.

Ter dúvida não é pecado. O que é pecado é não crer, mas, nunca o questionar. Estamos vivendo momentos tão conturbados e complicados na nossa Nação, e no mundo todo que, muitas vezes, até ficamos cheios de angústia, de questionamentos e de dúvidas. Muitos podem até indagar o porquê Deus está deixando as coisas acontecerem, sem que se dê um basta na ganância de pessoas que estão usurpando o dinheiro público e, enriquecendo às custas do povo. Por outro lado, vez por outra estamos tendo notícias de que servos de Deus, dedicados, íntegros, estão sendo acometidos de enfermidades graves, e alguns não estão nem sendo curados e, pessoas que não tem o temor a Deus, estão vivendo com saúde, sendo até longevos...

Podemos sem problema algum, indagar a Deus o porquê das coisas que não entendemos e que nos deixam confusos, mas, pode acontecer também que Deus não nos dê nenhuma resposta para nossos porquês, pois, nem sempre temos a capacidade de entender a resposta. Uma coisa é certa: É fundamental que confiemos no Senhor, na sua Palavra e, mesmo que não sejamos sabedores da resposta, devemos compreender Aquele que é Soberano e que tem tudo sob o seu controle.  A Bíblia afirma que “Até os fios de cabelo da vossa cabeça estão todos contados” (Lc 12.7). Isto significa controle absoluto. Ao contrário do que alguns pensam Deus não abandonou sua criação à própria sorte, antes, a sustenta e dirige todas as coisas. Não só o homem está sob os cuidados de Deus, mas, também todo o universo e todos os eventos cósmicos, sociais, políticos, psicológicos, espirituais. Tudo e todos estão sob o controle de Deus. Ele é o Senhor!

Asafe começou a cair em si, e a perceber que estava indo pelo caminho errado. Ele disse: "Quando tentei entender tudo isso, achei muito difícil para mim..." Salmos 73:16 . Quando nos envolvemos demais com os acontecimentos e insistimos em querer entendê-los de qualquer forma, deixamos de fazer tantas coisas importantes... Pelo fato de estarmos tão obcecados pelos questionamentos, terminamos nos esquecendo de olhar ao nosso redor, e deixamos de ver aqueles que nos cercam e, que estão precisando de ajuda. Deixamos de fazer algo produtivo por nossa comunidade, por nossos irmãos e, o mais grave é que gradativamente vamos esfriando na fé, nos enchendo de dúvidas e, gradativamente nos afastamos de Deus.

O salmista estava prestes a desanimar, a desistir da sua fé. Ele mesmo disse: "Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei." Salmos 73:2 , entretanto, ele reagiu a tempo e, tomou uma decisão importante. Vejamos até quando durou a crise de Asafe: "até que entrei no santuário de Deus, e então compreendi o destino dos ímpios.". Salmos 73:17 . Ele resolveu buscar ao Senhor. Ele se colocou verdadeiramente diante de Deus. Deixou de ficar olhando para o estilo de vida dos ímpios, e resolveu olhar para Alvo certo. Deixou também de procurar uma explicação racional para seu sofrimento, para suas dúvidas e inquietações, voltando sua atenção para o seu Deus, e então as coisas ficaram claras.Não é fazendo comparação da vida do descrente com a vida do crente, que encontraremos as explicações que estamos procurando, mas, é colocando-nos aos pés do Senhor, e aprendendo em Sua Palavra como devemos proceder.

O salmista concluiu que essas pessoas podem até estar em situação privilegiada, vivendo com fartura, comendo do bom e do melhor, em detrimento de oprimir e defraudar as pessoas, de furtá-las, entretanto, o fim delas chegará. Asafe disse: "Certamente os pões em terreno escorregadio e os fazes cair na ruína. Como são destruídos de repente, completamente tomados de pavor! São como um sonho que se vai quando a gente acorda; quando te levantares, Senhor, tu os farás desaparecer." Salmos 73 : 18-20.

Davi disse: “Não se aborreça por causa dos homens maus e não tenha inveja dos perversos; pois como o capim logo secarão, como a relva verde logo murcharão. Descanse no Senhor e aguarde por ele com paciência; não se aborreça com o sucesso dos outros, nem com aqueles que maquinam o mal.” Salmos 37:1-2 ; 7.  Depois que o salmista buscou a Deus, seu coração ficou em paz, mesmo continuando a viver no meio de tanta injustiça e opressão. Quando nos quedamos plenamente diante do Senhor, podemos ter a certeza que no momento exato, Ele entrará com providência e fará Justiça. Asafe então exclamou: "Contudo, sempre estou contigo; tomas a minha mão direita e me susténs. Tu me diriges com o teu conselho, e depois me receberás com honras. A quem tenho nos céus senão a ti? E na terra, nada mais desejo além de estar junto a ti. O meu corpo e o meu coração poderão fraquejar, mas Deus é a força do meu coração e a minha herança para sempre." Salmos 73:23-26 .

Reflexão:Confiemos na Soberania de Deus, mesmo que o mundo pareça estar de cabeça para baixo, ou, que tenhamos a impressão de que Ele não está se incomodando com os perversos, o que não é verdade. Confiemos em Deus, de todo o nosso coração, pois é Ele quem está no comando. Se a dúvida brotar e vier querer perturbar a nossa mente, não vamos dar lugar a ela, para que não cause um estrago em nossa vida, arrefecendo nossa fé e nos afastando do Senhor, antes, busquemos a Deus, e coloquemos nossos questionamentos diante d'Ele. Davi nos aconselha quando diz: “Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração. Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá...” Salmos 37:4-5 . Finalmente, tomemos a decisão de Asafe e digamos também: "Mas, para mim, bom é estar perto de Deus; fiz do Soberano Senhor o meu refúgio; proclamarei todos os teus feitos.". Salmos 73:28 . Amém?

 

Enilda Falcão Lins

Enilda LinsDrª.Enilda Lins, esposa do Pr. Isaías Andrade Lins Filho há 48 anos. Mãe de 3 (três) filhos, avó de 6(seis) netos. É Bacharel em Direito, advoga, é especialista na área de Direito de Familia, sendo Membro Efetivo do Instituto Brasileiro de Direito de Familia - IBDFAM.

Exercendo a advocacia há mais de trinta anos, a dra. Enilda Lins já exerceu diversas atividades no Serviço Público Municipal e também no Serviço Público Federal. Escritora de diversos artigos publicados em revistas e sites de cunho evangélico.


Autor deste Artigo: Enilda Falcão Lins

Exibir outros Artigos deste Autor

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Arquivos Recentes

Planejamento 2014 Download

Login Form

Informe seus dados de acesso

Esqueceu sua senha? Registrar-se

Siga também...