Escrito por Enilda Falcão Lins    Qua, 16 de Outubro de 2013 22:23
PDF
E agora, o que vou dizer?
Tamanho da Fonte

Mateus 10 .19-20

“Mas quando os prenderem, não se preocupem quanto ao que dizer, ou como dizê-lo. Naquela hora lhes será dado o que dizer, pois não serão vocês que estarão falando, mas o Espírito do Pai de vocês falará por intermédio de vocês.” Vs. 19-20.


Quando leio este texto, logo me vem à mente que esse dia poderá chegar a qualquer momento. Ouvindo os noticiários, acompanhando os acontecimentos que se passam no mundo, as guerras, os terremotos, as calamidades, a fome, as pestes, tudo nos faz crer que a volta de Jesus se aproxima cada vez mais.



Os discípulos estavam sendo orientados por Jesus como deveriam proceder no caso de serem presos e tivessem que comparecer aos Tribunais para serem interrogados. Estavam preocupados e nervosos. Jesus então disse: “Mas quando os prenderem, não se preocupem quanto ao que dizer, ou como dizê-lo. Naquela hora lhes será dado o que dizer, pois não serão vocês que estarão falando, mas o Espírito do Pai de vocês falará por intermédio de vocês”. A palavra do Mestre com certeza trouxe conforto, consolo e acalmou o coração daqueles discípulos medrosos.

Provavelmente muitos de nós que estamos lendo esta meditação não passaremos por este momento de ser preso e interrogado, mas, pode acontecer. As perseguições estão crescendo e nos ameaçando a cada momento. Custa se preparar? É de fundamental importância o preparo. Se pensarmos que pelo fato do Espírito Santo nos ensinar o que devemos dizer, vai dispensar o preparo, estaremos redondamente enganados.

Em que consiste, pois, este preparo? Inicialmente, desenvolvendo uma comunhão constante e diária com o Mestre. Devemos nos encher da Palavra. Cuidar de memorizar a Palavra. E até faz muito bem este exercício de memorização, não só para o nosso espírito, mas, também, ao nosso cérebro, para combater e afugentar doenças como Alzheimer, Mal de Parkinson e outras doenças degenerativas.

Outra forma de preparo é cultivar momentos de oração, quando estaremos desenvolvendo uma maior intimidade com o Senhor, colocando diante d’Ele nossos anseios, fraquezas e necessidades, e, recebendo d’Ele o devido conselho, amparo e orientação.

Ainda ressalto como forma de preparo, aproveitar os momentos que forem surgindo para testemunhar. Em II Coríntios 3.5, o Apóstolo Paulo escreveu: “Não que sejamos capazes, por nós mesmos de pensar alguma coisa, como de nós mesmos, mas a nossa capacidade vem de Deus”. Quando formos convocados para fazer uma palestra, um estudo bíblico, ou surgir a oportunidade de falar de Jesus para alguém, não devemos ficar atemorizados. É uma forma de treinamento. Estaremos nos preparando. Não vamos permitir que o medo tome conta de nós e nos impeça de dar este recado tão precioso. Em II Timóteo 1 .7, Paulo exorta seu amado filho na fé, Timóteo, que era um jovem muito tímido, dizendo: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação”.

Quando chegar o momento de testemunhar e você se sentir incapaz, ore ao Senhor e peça a Ele que lhe dê a palavra de poder e sabedoria. Faça como Davi que disse: “Clamarei ao Deus Altíssimo, ao Deus que por mim tudo executa.” (Salmo 57.2).

Reflexão: O Profeta Isaias que antes se achava tão incapaz e impuro para testemunhar, depois de passar por um processo de santificação disse: “O Soberano, o Senhor, deu-me uma língua instruída, para conhecer a palavra que sustém o exausto. Ele me acorda manhã após manhã, desperta meu ouvido para escutar como alguém que está sendo ensinado. O Soberano Senhor abriu os meus ouvidos, e eu não tenho sido rebelde; e u não me afastei.” (Isaias 50.4-5). Vamos, pois, nos dedicar ao preparo para que possamos estar a cada dia, mais capacitados e mais íntimos de Deus e, no dia em que chegar o momento de testemunhar, que possamos receber do Seu Espírito Santo, toda a palavra que devemos proferir, e que possamos fazê-lo sem ter medo, mas, com firmeza e segurança. Amém!

 

Enilda Falcão Lins

Enilda LinsDrª.Enilda Lins, esposa do Pr. Isaías Andrade Lins Filho há 48 anos. Mãe de 3 (três) filhos, avó de 6(seis) netos. É Bacharel em Direito, advoga, é especialista na área de Direito de Familia, sendo Membro Efetivo do Instituto Brasileiro de Direito de Familia - IBDFAM.

Exercendo a advocacia há mais de trinta anos, a dra. Enilda Lins já exerceu diversas atividades no Serviço Público Municipal e também no Serviço Público Federal. Escritora de diversos artigos publicados em revistas e sites de cunho evangélico.


Autor deste Artigo: Enilda Falcão Lins

Exibir outros Artigos deste Autor

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Arquivos Recentes

Planejamento 2014 Download

Login Form

Informe seus dados de acesso

Esqueceu sua senha? Registrar-se

Siga também...