Escrito por Enilda Falcão Lins    Seg, 14 de Outubro de 2013 15:02
PDF
E se o sal não salgar? E a luz não brilhar?
Tamanho da Fonte

Mateus 05 .13-16

“Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens. Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.” Vs. 13-14.


Jesus usou duas figuras bem conhecidas, e que produzem efeitos fundamentais na vida do ser humano, para ilustrar a vida do verdadeiro discípulo d’Ele: Sal e Luz.

O sal tem a propriedade de dar sabor aos alimentos e de também conservá-los. Assim, aplicando à nossa vida, nós como o sal vamos preservar o que resta duma sociedade corrupta, pervertida e decaída. Se nosso testemunho, a nossa maneira de viver é condizente com o comportamento do mundo, seremos considerados como um sal insípido, sem sabor, que não salga e nem conserva, não preserva. O que resta fazer com esse tipo de sal é jogá-lo fora. Na versão da Bíblia “A Mensagem”, no versículo 13 lemos: “Permitam-me dizer por que vocês estão aqui. Vocês estão aqui para ser o sal que traz o sabor divino à terra. Se perderem a capacidade de salgar, como as pessoas poderão sentir o tempero da vida dedicada a Deus? Vocês não terão mais utilidade e acabarão no lixo.”



Por sua vez, a luz destrói completamente as trevas. Quando penetramos em um ambiente escuro e acendemos a luz, repentinamente a escuridão desaparece, pois, quando existe luz, as trevas não prevalecem. Quando estamos viajando de carro e, ao chegar de noite, logo podemos avistar ao longe a proximidade de uma cidade, pois, as luzes não a deixa escondida. “Que comunhão tem a luz com as trevas?” Nós somos a luz do mundo porque somos filhos da Luz. Jesus é a fonte dessa luz, pois, Ele mesmo disse: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue jamais andará em trevas...” E nós, como filhos da Luz que somo s, devemos refletir a luz de Jesus neste mundo de trevas. A luz que irradiamos deve ser cada vez mais forte mais poderosa no seu efeito de banir as trevas, que invadem de forma destruidora o mundo atual em que vivemos. Quanto mais forte for a nossa luz, mais claro tornaremos os ambientes por onde estaremos passando.

Luzes escondidas não têm nenhum valor para dissipar as trevas. Não se acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma cama ou dentro de um armário. Ela tem que estar em um lugar de evidência para que a sua luminosidade clareie todo o ambiente. Mais uma vez quero citar a Bíblia “A Mensagem”, que nos versículos 14 a 16 diz o seguinte: “Há uma outra maneira de dizer a mesma coisa: Vocês estão aqui para ser luz, para trazer as cores de Deus ao mundo. Deus não é um segredo a ser guardado. Vamos torná-lo público, tão público quanto uma cidade num pla no elevado. Se faço de vocês portadores da luz, não pensem que é para escondê-los debaixo de um balde virado. Quero posicioná-los onde todos possam vê-los. Agora que estão no alto do morro, onde todos conseguem enxergá-los, tratem de brilhar! Mantenham sua casa aberta. Que a generosidade seja a marca de vocês. Mostrando-se acessíveis aos outros, vocês motivarão as pessoas a se aproximar de Deus, o generoso Pai do céu”.

Reflexão: Que nossa maneira de viver possa como sal, trazer sabor àqueles que convivem conosco e, que possamos também ser instrumentos de Deus, poderosos, no sentido de preservar ou conservar o que ainda resta de integridade neste mundo decaído, porque, se o sal não salgar, vai para o lixo!  Que possamos ser uma luz forte, resplandecente, para que as trevas sejam diss ipadas e Jesus seja honrado e glorificado pela nossa maneira de viver, e que Ele seja visto e conhecido pelos homens que ainda não O tem como seu Senhor e Salvador. Se a luz não brilhar, vai prevalecer a escuridão, e fomos chamados para ser luz. Amém?

 

Enilda Falcão Lins

Enilda LinsDrª.Enilda Lins, esposa do Pr. Isaías Andrade Lins Filho há 48 anos. Mãe de 3 (três) filhos, avó de 6(seis) netos. É Bacharel em Direito, advoga, é especialista na área de Direito de Familia, sendo Membro Efetivo do Instituto Brasileiro de Direito de Familia - IBDFAM.

Exercendo a advocacia há mais de trinta anos, a dra. Enilda Lins já exerceu diversas atividades no Serviço Público Municipal e também no Serviço Público Federal. Escritora de diversos artigos publicados em revistas e sites de cunho evangélico.


Autor deste Artigo: Enilda Falcão Lins

Exibir outros Artigos deste Autor

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Arquivos Recentes

Planejamento 2014 Download

Login Form

Informe seus dados de acesso

Esqueceu sua senha? Registrar-se

Siga também...